domingo, junho 08, 2008

Ontem foi dia de futebol

Ontem, consegui abrir um parêntesis ao contínuo dar respostas às solicitações do dia a dia, ora por questões laborais ora por questões familiares, que tem sido a minha vida ao longo do mês de Maio e neste princípio do mês de Junho. Por vezes tenho vontade de sair do comboio, numa qualquer estação e ficar durante uns tempos sozinha a ver os outros comboios passar. Onde é que eu já ouvi ou li esta frase? Pois bem, ia eu dizendo, consegui abrir um parêntesis e foi tão simples como ir ao supermercado, comprar umas cervejas e uns camarões e assistir na minha casa ao espectáculo televisivo Portugal-Turquia, com o pai do Pedro, a mana do Pedro e com o Pedrinho. O Pedro, embora surdo, prestou muita atenção ao jogo de Futebol e ficou francamente contente quando Portugal conseguiu marcar os dois golos, levantando os dois braços e batendo palmas de cada vez que era marcado um golo. Por vezes a vida assume prioridades e compromissos que é imperativo parar, nem que seja por instantes e nesse sentido a nossa equipa de futebol e as outras equipas europeias, não só proporcionam um momento de evasão à família do Pedro, como também a milhares de portugueses e de europeus. Por tudo o que acabei de escrever, bem haja o campeonato europeu de futebol e que Portugal consiga chegar à final.

4 comentários:

reb disse...

Compreendo muito bem o que descreves! Estes momentos de futebol com a nossa selecção, fazem-nos esquecer as obrigações constantes, e as nossas vitórias são uma alegria enorme que podemos partilhar com aqueles que mais queremos. Também dei abraços às minhas filhas que já não dava há algum tempo :)
No final, estavamos muito mais bem dispostas e eu fui menos chata a fazer observações: "olha que tens que te levantar cedo" etc... :)

Grilinha disse...

É uma bela forma de desanuviar de uma série de problemas...e por vezes é uma grande fontwe de alegrias.

Beijinho

Maria disse...

A meio de um jogo, sorrio com o post, sim, tens razão, bem haja, acabamos por partilhar uns sorrisos extra... Beijinhos.

reb disse...

Estou a ler o "grito da gaivota", por sugestão do nélio. Estou admirada pq a posição da escritora em relação à grande vantagem comunicativa e de desenvolvimento do pensamento da língua gestual, parece contraditória com a posição defendida pela margarida e memorex, que escrevem no meu blog.
Querem esclarecer-me sobre isso ou indicar-me sites onde possa compreender melhor esta questão?
Obrigada e beijinhos pais do pedro :)