sexta-feira, abril 04, 2008

tranquilidade

hoje, chegado a casa, cansado, olhei para o pedro e vi um rapazinho. talvez tenha sido por ele ter cortado o cabelo e estar verdadeiramente bonito. e durante o jantar, dei por mim a olhá-lo de uma maneira diferente. não consigo bem explicar por palavras, mas olhei-o de uma maneira diferente. não vi o que o vírus destruiu, mas sim aquilo que foi poupado. pensei o quanto amo esta pessoazinha que ele é, com a sua personalidade, a sua força, a sua vontade de viver e a sua sensibilidade. há muito tempo que valorizo mais aquilo que ele é do que aquilo que foi destruido pelas lesões do vírus, mas hoje foi, de alguma maneira inexplicável, diferente. o pedro vai crescendo e transformando-se. cada vez mais tem o seu mundo próprio, a sua vontade, as suas preferências, as suas posturas e atitudes. é diferente de todas as outras crianças, mas não são todas as crianças diferentes entre si?

1 comentário:

Isabel Granhao disse...

Um dia perdi uma parte de mim, fiquei sem ela.
Demorei anos a descobrir que com o resto, podemos fazer muito muito, mais do que a maioria das pessoas fará na vida toda de normalidade.
O vosso filho é uma crinaça tão diferente como as outras, só tem um equilibrio mais delicado, como no balet. aquilo no balet, parece fácil,mas é trabalho duro, durissimo.
o resultado é que é muito bonito.
a parte que o virus destruiu não faz assim tanta falta, se olharmos para o lado bonito.