terça-feira, setembro 18, 2007

o meu pedro é um herói

enquanto escrevo este post o pedrinho está com a mãe no hospital. nada de grave. ou então sou eu que já perdi a noção do que é grave e não é. as "pequenas hipotonias", como eu lhes chamava, afinal não são mais do que actividade epiléptica. nos últimos dias, passaram de pequenas hipotonias a grandes hipotonias, de tal maneira que lhe começaram a afectar a capacidade de andar sozinho. depois de algumas quedas e de alguns "galos", resolvemos contactar com a neuropediatra e marcar um electroencefalograma. foi fazê-lo hoje, e foi direitinho para o S.O., para iniciar um novo fármaco antiepiléptico. é uma forma pouco habitual de epilepsia, em que as crises não provocam perda de consciência, apenas perda generalizada de tónus. durante o e.e.g., fez uma série delas, quase sem interrupção, embora se olhassemos para ele nada indicasse que estava a ter crises. continuava a comunicar comigo em língua gestual, completamente desperto. pode parecer-vos estranho eu dizer isto, mas ainda bem que é actividade epiléptica. se não fosse, seria muito mais complicado lidar com isto. conhecer aquilo contra o que temos que lutar é meio caminho andado. quando acabar o medicamento intravenoso, vem dormir a casa, e amanhã vamos voltar para fazer novo e.e.g., 24 horas depois. o meu pedro é um herói. suporta todas estas "sevícias" estoicamente. eléctrodos, picadelas, sistemas de soros, com uma naturalidade que nunca vi em nenhuma outra criança. deve ter sido do primeiro mês de vida passado na unidade de cuidados intensivos, nada o intimida, desde que o pai ou a mãe estejam presentes. é por isto, por ser esta a nossa realidade, que eu não consigo ter paciência para mães e pais que ficam muito preocupados se os seus meninos têm uma dorzinha de garganta, ou uma reles otite, ou uma febre que já dura há dois dias. nem sabem a sorte que têm.

3 comentários:

Maria disse...

A dor e o esforço criam resistências fora do comum no ser humano. A nossa tolerância a situações de desgaste e de stress é muito superior ao esforço regular que se vai abaixo em lágrimas ao primeiro problema tipo unha partida, como costumo dizer. Mesmo com essa coragem toda, que passe depressa essa fase necessária de análise de situação e que o Pedro volte bem depressa às suas rotinas com mais conforto e sem sobressaltos. Um abraço, para ele e para os pais.

Grilinha disse...

Grande Pedrinho...

É mesmo isso ! É mesmo um valente e só nos dá grandes lições de coragem...

Como te admiro, meu pequenino...e como sinto a vossa aflição, pai e mãe do Pedrinho-Herói .

Beijinhos e rápidas melhoras...digam qq coisa assim que tiverem novidades. p.f.

__Isabel__ disse...

Já nada me impressiona também.
Deve ser o hábito de lidar com tanta coisa.
Força para o Pedrinho e os pais.
Beijinhos!