quarta-feira, dezembro 13, 2006

a propósito de talas nocturnas

chegou a tão aguardada tala nocturna. não sei se já tinha falado dela aqui. desde muito cedo que tentámos introduzir talas nocturnas no arsenal terapêutico do pedro, como mais uma medida para controlar a espasticidade da perna direita. a primeira era uma estrutura moldada à perna dele, rígida e, acredito, super incómoda, pois ele nunca a tolerou. depois teve uma só em espuma, que foi eficaz durante algum tempo, até a espuma ficar completamente moldada à posição de perna encolhida em que o pedro tem tendência para dormir. esta, que nos foi segunda feira entregue pela a.p.p.c., também é em espuma, mas tem três "barbas" metálicas que lhe dão resistência à deformidade. enfim, mais um "device" para o pedro. suponho que se tivesse tido a veleidade de os contar todos desde o nascimento do pedro, este devia-se situar entre o número 40 e o 50, entre standings, planos inclinados, andarilhos, triciclos adaptados, talas rígidas, talas insufláveis, pranchas com rodas, cadeiras fixas, cadeiras móveis, bolas, cunhas e rolos, se não me estou a esquecer de nenhum. desde que o pedro nasceu, a nossa casa nunca mais conseguiu estar arrumada, há sempre os aparelhos mais estranhos e volumosos que nunca sabemos onde os colocar, não são propriamente muito decorativos. lembro-me também do episódio em que o irmão do pedro trouxe um amiguinho a casa, devia o pedro ter entre um e dois anos, estava o pedro no meio da sala no plano inclinado (uma espécie de standing frame, mas de inclinação regulável) a cerca de de 30º. ficou-me na memória a expressão do miúdo a olhar para a cena: um casal, com o filho mais novo enfiado num aparelho estranhíssimo, cheio de ferros a saírem por todos os lados, comportando-se como se fosse a coisa mais natural do mundo... mas voltemos à tala. levou esta tala cerca de seis meses a fazer. como estas coisas têm que ser feitas por medida, não estão disponíveis no mercado. só que por falta de pessoal, a funcionária que as executa na a.p.p.c. tem que se desmultiplicar por inúmeras tarefas. no fundo é apenas uma placa de espuma, com forma de trapézio, revestida por pano azul, onde há três baínhas para as "barbas" metálicas, não é difícil de confeccionar... mas enfim, chegou, o pedro está a aceitá-la bem, embora nos pareça que o sono não está a ser tão repousante. já imaginaram? ter que dormir de perna esticada, enfiada numa coisa destas? muita paciência tem ele. acho eu.

6 comentários:

Grilinha disse...

Pois tem...pois tem...bem sei do que falas quando te referes ao "arsenal"...beijinhos

sara disse...

Olá!
Costumo passar por aqui e gosto muito de vos ler. Um beijinho grande para toda a família.

pedroepedrofilho disse...

Acho que consigo fazer uma pequena ideia, conseguir descançar assim!
Mas tem que ser não é!?
Abraço. Pedro

Anónimo disse...

Talvez seja apenas o periodo de habituação inicial. Com o tempo pode ser que venha a tolerá-la melhor. Torço por isso. Um abraço.

Anónimo disse...

Pois é, por vezes estamos a nos queixar da partida que a vida nos pregou e esquecemos-nos que os mais visados neste caminho tortuoso são eles...e como eles sofrem sem nunca desistirem.

beijinhos
patricia mae do rodrigo

Anónimo disse...

também penso antes (do meu)no sofrimento da criança ou adulto com insuficiência(s)física(s), pois que relativamente à mental, a questão coloca-se de outro modo.
bjs