sexta-feira, janeiro 26, 2007

Olá

Hoje o dia correu rapidamente, como rapidamente passam os dias deste ano novo, que de novo tem o número 2007. O pai do Pedro levou os dois filhos mais velhos para a Escola, eu acordei com o Pedro e depois do ritual do vestir Pedro, vestir-me, tomarmos o pequeno-almoço e não esquecer do xarope do Pedro, fomos para a consulta de fisiatria. Pedro, pai e mãe ficámos à espera do médico fisiatra que actualmente é também um amigo. Chegou o Sr. Doctor e bem, voltamos a conversar sobre quais as possibilidades técnicas viáveis no nosso pequeno Faro, versus Portugal para uma operação bem feita, ao joelho do Pedro, que mais tarde ou mais cedo irá acontecer. E aqui paro, ..., como também paro ao pensar no porquê de ser tão difícil fazer seja o que for bem feito neste país. Será que a nossa sociedade deixou de pensar no colectivo e nas coisas verdadeiramente importantes para preocuparmo-nos apenas com o nosso pequeno bem estar? A verdade é que tanto na saúde como no actual sistema de ensino é tudo tão pesado e tão pouco articulado entre as partes que constituem o todo, que efectivamente acabamos por comprometer o todo. E esse todo somos todos nós.
Continuando, a toxina foi aplicada ao joelho do Pedro e o Pedrinho tem andado o dia menos bem, ficou com o pai enquanto eu fui trabalhar para a Escola, durante o período da tarde. O que também alimenta a minha alma são os meus alunos e eles são uma fonte de prazer, são jovens, com vontade em aprender desde que lhes proporcionemos conhecimentos, dedicação e amor. Regressei a casa e o pai do Pedro teve que ir trabalhar, depois do jantar. Discutí mais uma vez com o meu filho mais velho, as razões são principalmente o meu cansaço e o egoismo natural dum rapaz de 18 anos por não entender que faz parte do grupo dos adultos e que tem que colaborar com o seu trabalho no seio familiar. Bem, depois estou aqui a dar uma enormíssima seca àqueles que tiverem a paciência de lerem este post, de todas as formas o meu muito obrigada por lerem este pequeno desabafo.

4 comentários:

Néa e Arthur disse...

Mãe do Pedro entendo muito bem o dizes dos adolescentes eles passam mesmo por essa faze egoísta, mas espero que com o tempo passe.Também tenho uma filha de 17 anos e as vezes é muito difícil nos entendermos.

Beijos e bom final de semana

Grilinha disse...

Adorei o post. Retrata bem o dia-a-dia de uma mamã de 3 filhos com idades diferentes...mas apesar dos problemas, revoltas sobre o sistema...achei um dia bonito, preenchido e até ternurento. Um grande beijinho, mãe do Pedro

lobitas disse...

A mae do Pedro não tem que pedir desculpas nenhumas, foi um prazer ler o post, e aqui esta toda a alcateia a mandar um beijinho grande para toda a familia e a pedir para regressar mais vezes.
Beijinhos

Maria disse...

mãedopedro, que saudades de te ler. É bom e bonito ouvir uma professora dizer que ama o que faz, uma mãe e mulher preocupar-se com o curso pacífico da sua família, dando asas e raízes aos filhos. O meu ainda é bem mais pequenino que o teu mais velho, não sei como lidarei com essa fase. Já o sinto tão autónomo agora... Um enorme abraço para todos, uma semana cheia de sorrisos.