segunda-feira, janeiro 29, 2007

trabalho versus família

Amanhã, digo hoje, por volta das 7:15h, lá volto eu à minha rotina diária e estou um pouco tensa porque nos dias de hoje ser professor ocupa todo o tempo e deixa muito pouco tempo para a vida, para a minha vida, com toda a complexidade que é a vida de uma mulher, principalmente se tem um filho pequeno, com sete anos de idade a precisar muito da sua mãe. A verdade é que passei a ter muito pouco tempo para dedicar aos meus filhos, e o Pedro acusa sempre que estou ocupada com questões laborais. Hoje, pediu-me para ir dormir com ele e só acalmou quando deitei-me com ele na sua cama. É claro que não trabalhar pode ser uma hipótese, nos três primeiros anos do Pedro trabalhei a meio tempo e foram tempos preciosos na habilitação do Pedro, mas no nosso caso temos mais dois filhos que também precisam não só do tempo dos pais como também de recursos económicos que um só ordenado não responde e depois o pai do Pedro também tem o direito de ter algum tempo para poder estar com ele e com a sua família. O eu não trabalhar iria sobrecarrega-lo em demasia. Enfim tenho mesmo que ir trabalhar amanhã, mas se pudesse e embora goste de ser professora, o não trabalhar no sistema de ensino actual seria uma hipótese a considerar.

1 comentário:

lobitas disse...

Que bom mãe do Pedro estar novamanente a postar.
Pois é uma questão muito delicada, como ja referi no comentário do poste anterior, a minha situação não é facil, penso que tomei a decisão mais acertada para o bem da nossa lobita, mas como é evidente sinto muita falta do meu trabalho e de toda a sua envolvente, sou Zootécnica e sempre trabalhei directamente com animais, posso dizer que sempre adorei aquilo que fiz profissionalmente, mas valores ainda mais altos se levantaram e a minha lobita merece tudo isto e basta o sorriso dela e as suas melhoras para eu ficar animada e feliz e pensar que vale a pena estar ao seu lado.
Mas cada caso é um caso e sei que há situações em que esta atitude não pode ser tomada e como é evidente entristece qualquer coraçãozinho de mamã e fica-se sempre com muitas dúvidas, mas o que interessa tambem é a qualidade de tempo que se dedica ao nossos queridos "bebés", e tenho a certeza que quem ama desta forma recompensa com muito muito amor e carinho, e no fim o saldo de afecto é sempre positivo, por isso muito animo para a mãe do Pedro e nada de dúvidas... porque o importante é estar sempre de coração perto do Pedrinho e isso não se traduz em tempo mas sim em amor.
Muitos beijinhos da alcateia