sábado, novembro 11, 2006

amigos

há pouco mais de uma semana comuniquei a alguns grandes amigos que estão longe, a existência deste blog. estranhamente, apenas três se manifestaram e apenas uma deixou um comentário (obrigado isabel!). será que os emails não funcionam? ou será que os amigos, principalmente aqueles que não nos têm acompanhado na vida com o pedro, têm extrema dificuldade em falar sobre o assunto? e de algum modo os assusta a frontalidade e o pragmatismo com que falo aqui sobre as coisas? será que não sabem o que dizer ou têm receio de deixar aqui num comentário um "disparate qualquer"? por outro lado, no curto tempo de existência deste blog, tenho recebido aqui manifestações de apoio incondicional, de disponibilidade, calor para a alma, por parte de pessoas que não conheço pessoalmente. afinal o que é a amizade? tenho bem consciência, basta pensar em mim antes do pedro, que este "mundo" da deficiência está envolvido por muitos tabús, tem muitos contornos desconhecidos para quem não lida com ele no dia-a-dia. sei também que mudei bastante depois do nascimento do pedro, os instintos levaram-me a separar o trigo do joio da vida, de alguma maneira sou mais livre interiormente. mas já estou a divagar... voltando atrás, só queria deixar aqui bem expresso que o silêncio magoa muito mais do que um "disparate qualquer". e como dizia o outro dia a minha "nova amiga" grilinha, a vida não acaba só porque nasceu uma criança diferente. pois não! recomeça!

7 comentários:

@Memorex disse...

Existem tantas definições do Silêncio, nem sempre o silêncio é aquilo que aparenta.

Muitas vezes as pessoas criticam por temeridade, falta de ousadia e maturidade de aceitar as coisas facilmente.

O problema é, muitas vezes dissem coisas que nada faz sentido. Não sabem o que consiste a INTEGRIDADE, olhar-nos como deficiente dói muito e eu bem sei como é.

Por isso o Pedro não está só no mundo, tem pessoas que o amam, que o compreendem de olhos fechados.

Nem sempre os livros contam tudo, porque incomparavelmente a vida de cada ser é uma história distinta dos outros.

Que o dia vos sorri, beijos
Memorex.

paidopedro disse...

memorex: silêncio, aqui, significa ausência de comunicação. que o dia te sorria também. obrigado por teres aparecido

Grilinha disse...

Papá do Pedro

Sei do que falas. Muito bem. Faz-me alguma confusão. Tenho uma amiga que tem 43 anos, não consegue engravidar de maneira nenhuma...e a grande preocupação actual dela é a idade e a alta probabilidade de ter um filho com problemas...eu já lhe disse que não é nada do outro mundo, o choque inicial é superado com as pequenas conquistas do dia-a-dia...e é muito compensador ser mãe, mesmo de uma crainça especial !!! Pois, se ela tem tanta vontade...devia aceitar um bebé tal como Deus quisesse lhe enviar...mas não...A deficiência assusta-a tanto ! Talvez olhando para trás a entenda...mas agora, acho que "esqueci" esse modo de pensar. Que maravilha sermos diferentes ! Às vezes até me envergonho da minha normalidade...odeio qdo alguém vê um menino com paralisia e julga a sua inteligência pelo aspecto físico...QUANTO ENGANO !!! Pois, eu assumo: não mudei tanto assim, mas agora preveligio os amigos "sem preconceitos e de bem com a vida". Que saudável e mais felizes somos rodeados de pessoas assim !!! Já fiz GRANDES amigas aqui através dos blogs. Pessoas que fazem parte agora da minha "linda família"....e os amigos antigos têm um lugar no meu coração e talvez um pouco menos espaço na vida actual que vivo. Mudei? Sim, mas pouco. As circunstâncias não são para "lamentar"...são para olhar para a frente e agradecer o caminho que descobrimos cada dia...um dia a dia cheio de desafios e amor. Beijos para todos.

cloinca disse...

Todos nós sentimos isso, não é?
porque será que pessoas que nunca vimos na vida nos apoiam mais que quem conhecemos pessoalmente?
Sei que há muita dificuldade em dizer o que quer que seja nestas situações... quem não passa por elas sente que não tem "ligitimidade" para opinar.
Sei hoje que não é assim... mas lembro-me bem como reagia antes... como me afastava das diferenças que não conhecia...
O que te posso dizer é que quem não diz nada não está necessariamente desligado... poderá é não estar preparado para o fazer.
Fica aqui o meu beijinho enorme para toda a vossa família! Contem comigo para o que precisarem!
:)

Quicas disse...

Em algum momento da nossa vida já sentimos isso...que certos amigos parecem estar mais longe (fisicamente e não só) do que pessoas que não nos conhecem, e que acabam por nos surpreender. Já uma vez escrevi um post sobre isso; porque é que as pessoas que mais nos são queridas são aquelas que mais nos magoam? E outras que não conhecemos, ou conhecemos mas com quem nunca falámos, surpreendem-nos com um telefonema, ou um sms...simplesmente a perguntar se está tudo bem...
Acho que já aconteceu isso com toda a gente...perdem-se alguns amigos (no meu caso foi porque fui a 1ª do grupo de amigos a ter um filho), mas encontram-se outros que nunca pensámos lá estarem...

E sim...a vida não acaba só porque nasceu uma criança (diferente ou não)...a vida recomeça!

Beijocas para todos
:)

isabel disse...

Olá PAI DO PEDRO, MÃE DO PEDRO, IRMÃOS DO PEDRO E PEDRO

Estive de férias na semana passada (ai que bem me souberam esses dias fora do "ram-ram" habitual) pelo que só hoje voltei a entrar neste vosso espaço, que já considero “imperdível”. Sabem, meus AMIGOS, vocês são uma VERDADEIRA LIÇÃO DE VIDA, conjuntamente com todos os vossos "novos amiguinhos" que convosco partilham este espaço.
Compreendo, Pai do Pedro, a tua mágoa, tristeza, ressentimento, ou o que quer que lhe queiras chamar, perante a ausência de alguns teus (vossos) amigos, a quem comunicaste a existência deste blog, mas ... não penses que é porque deixaram de gostar de ti/vocês, ou porque, pura e simplesmente, ficaram indiferentes à vossa história!!!
Não serão esses os motivos, de certeza absoluta.
A vida "estupidamente ocupada" de muitos de nós, desvia, frequentemente a nossa atenção para os "falsos problemas" ou "falsas questões" com que nos fomos habituando a preencher o nosso dia a dia. Esta atitude condiciona a vida de muita "gente de boa vontade". Não se faz por mal, certamente, mas porque foram (fomos) ficando aprisionados na sua (nossa) própria teia. É essa a grande lição que vocês têm para nos dar. Transcenderam tudo isso e conseguiram, aquilo a que tu, e muito bem, chamas de “Liberdade Interior”, que te (vos) permitiu restabelecer as PRIORIDADES na vida. Estou a tentar reeducar-me, há já algum tempo, mas, confesso, ainda ficar, por vezes aprisionada mais do que gostaria (afinal, ainda te deves lembrar da minha faceta “workaholic”!!!).
Não pretendo, com isto, desculpar nada nem ninguém, até porque, intimamente, deves saber que podes contar com todos (pelos menos aqueles em quem estou a pensar) mas sabes, ainda nem todos nós conseguimos atingir o vosso nível de "liberdade interior" ... mas havemos de lá chegar.

OBRIGADA PELA VOSSA PARTILHA
OBRIGADA PELA VOSSA CONTRIBUIÇÃO PARA O MEU “CRESCIMENTO”

UM XI CORAÇÃO do tamanho do MUNDO para TODOS

Até breve
Isabel

paidopedro disse...

isabel, eu sei os motivos que levam as pessoas ao silêncio, não consigo ficar sequer zangado. mas fico triste e apreensivo em relação ao futuro do pedro, quando são os meus próprios amigos a terem dificuldade em lidar com a diferença...